IPT Responde: Piso intertravado tradicional ou de concreto permeável?

Quais são os critérios para a escolha entre piso intertravado tradicional e piso intertravado de concreto permeável numa área de estacionamento de supermercado? Como escolher a melhor solução?

As condições básicas para o bom desempenho mecânico dos dois diferentes sistemas de piso citados (drenantes e não drenantes) são as mesmas: correta compactação/adequada resistência da base e da sub-base, confinamento das peças de extremidade, caimentos corretos, encaixes corretos/ausência de dentes significativos entre peças contíguas, drenagem superficial ou profunda que garanta que não ocorrerá empoçamento de água sobre o subleito, com risco de amolecimento de solos argilosos/formação de “borrachudo”.

Satisfeitas as condições básicas, a escolha deve envolver índices pluviométricos na região da obra, área total do piso, capacidade drenante das peças e juntas (estado de novo e após parcial colmatação dos poros ou juntas ao longo dos anos), tipo e peso dos veículos que trafegarão sobre o piso, resistência à compressão e à flexão das peças, idem resistência ao desgaste superficial por abrasão, durabilidade/vida útil prevista para o piso, facilidade e custo de manutenção/reposição de peças.

Após todas essas considerações, além do valor do investimento inicial, será possível optar pelo sistema de piso drenante ou pelo sistema convencional de piso intertravado, podendo-se num ou noutro caso contar com recursos auxiliares de drenagem e captação de águas pluviais (bacias de infiltração, “piscinões” etc.).

Engº Ercio Thomaz
Cetac – Centro Tecnológico do Ambiente Construído

Instalação correta de marco em esquadria de PVC

Qual é o segredo para garantir que o marco de uma esquadria de PVC seja instalado corretamente no vão (no esquadro e sem diferença significativa de nível)?

A melhor forma de instalação de janelas, independentemente do material, é aquela em que se conta com a presença de contramarcos previamente chumbados nas alvenarias ou elementos de concreto. Quando da fixação dos contramarcos, deve-se controlar de forma eficiente altura do peitoril, nível e alinhamento das travessas inferiores e superiores ao longo de todas as fachadas, prumo e alinhamento das ombreiras dos contramarcos ao longo das diversas prumadas de janelas (emprego consciente dos arames de fachada), esquadro entre montantes e travessas etc.

Com os contramarcos corretamente instalados estará automaticamente gabaritada a colocação das janelas, que ocorre normalmente por parafusamento/encaixe dos marcos aos contra-marcos, fixação de acabamentos/mata-juntas, rejuntamento com selante elastoméricos entre o marco e o contorno do vão, entre outros.

Engº Ercio Thomaz
Cetac – Centro Tecnológico do Ambiente Construído

Envie sua pergunta para o e-mail iptresponde@pini.com.br

Veja também:

ATENÇÃO ASSINANTES!

O acesso às edições mais recentes das revistas AU – Arquitetura e Urbanismo, Construção Mercado, Equipe de Obra, Infraestrutura Urbana e Téchne foi restabelecido em nossa plataforma digital.