Como construir: lajes nervuradas e fôrmas reaproveitáveis

Maiores vãos entre pilares, distribuição estratégica dos pilares, flexibilidade na resolução da planta: essas são apenas algumas das vantagens do sistema de lajes nervuradas se comparado às tradicionais lajes maciças. Com montagem cada vez mais rápida e sistemas de fôrmas reaproveitáveis, as soluções nervuradas têm conquistado cada vez mais status entre as construtoras.

O recém-entregue empreendimento Urbanity, obra da Even Construtora na capital paulista, é um complexo multiuso que reúne residências, escritórios, lajes corporativas e centro de compras. Distribuído em 40 pavimentos, o programa de necessidade pode ser hierarquizado com facilidade pelos arquitetos diante da flexibilidade atingida graças ao partido estrutural adotado. O complexo inclui duas torres, corporativa e residencial, nove pavimentos em anexo comercial e uma torre de conexão entre o edifício comercial e o residencial. A obra, entregue em novembro de 2017, foi viabilizada com uso de sistema de laje nervurada moldada com fôrmas do tipo cubeta, da Ulma, em módulos de 20 cm e 40 cm.

Cada vez mais comuns, projetos de interiores residenciais e corporativos deixam à mostra as cubetas das lajes nervuradas. Na sede da OLX, na capital fluminense, o arquiteto Sérgio Camargo evidenciou a volumetria da estrutura com projeto luminotécnico ousado

Mas não é de hoje que o sistema de laje nervurada auxilia na rapidez da execução de obras de grande porte. Há seis anos, em apenas oito dias de ciclo de concretagem, consolidou-se a sede da Petrobras em Santos (SP). A obra sob responsabilidade de Construcap adotou o sistema de fôrmas Atex, que seguiram a mesma modulação do Urbanity, da Even. Com um ciclo de concretagem de oito dias, toda a edificação da sede da Petrobras foi concebida em laje plana ervurada – menos a cobertura e as cisternas, que foram com laje e vigas convencionais em razão dos empuxos deterra e da laje de subpressão.

Na mesma linha, no Distrito Federal ergueu-se recentemente o Praça Capital, empreendimento comercial que reúne salas comerciais, espaços para reuniões e eventos e espaços de convivência de diferentes tipos. Todos os espaços são conectados por praças e espelhos d’água, essenciais para o conforto térmico em Brasília. Realizado pela Odebrecht e pela Brasal, o Praça Capital será um núcleo de integração entre empresas, serviços e pessoas, com os pontos de integração ao ar livre. A solução de execução também ficou a cargo da Ulma, com fôrmas recuperáveis e cimbramento desmontável. No auge da produção no canteiro, chegou-se a um volume de 1.000 toneladas de equipamento usado ao mesmo tempo.

Case 1 — Urbanity: complexo multiuso em São Paulo
O empreendimento Urbanity, obra da Even Construtora, traz para São Paulo um complexo multiuso com a finalidade de reunir muitas possibilidades em um único lugar, agregando unidades residenciais, escritórios, lajes corporativas e shopping. Com estrutura de 40 pavimentos na torre residencial, 29 pisos a torre corporativa e 9 pisos no anexo comercial, adotou sistemas de fôrmas e escoramentos oferecidos pela Ulma Construction.

 

A SOLUÇÃO
O projeto do estacionamento do Urbanity exigia a execução de pilares circulares de 0,5 m a 1,5 m, que foram solucionados com fôrmas composta de painéis metálicos semicirculares, que unidos formam o molde circular. Já nos pilares de elevador, do térreo ao 4º pavimento, utilizou-se sistema de fôrma para concreto leve, ideal para executar paredes, vigas, fundações e sapatas. Manuseada por um só trabalhador, sem a necessidades de grua, foram combinadas a um console trepante configurável.

As lajes dos edifícios foram executadas pelo método construtivo de lajesnervuradas. O sistema completo e com alta produtividade para esse tipo de estrutura foi a solução, utilizando cubetas de 20 cm e 40 cm e capas que variavam entre 5 cm e 7 cm. Alguns trechos com pédireitoduplo, de proximadamente 12 m de altura, foram resolvidos com torres ajustáveis de cimbramento, também oferecidas pela Ulma.

As sacadas com variações de seção foram executadas com vigas BTM, lançadas e travadas à estrutura com sistemas de tirantes. Ao todo foram utilizados mais de 750 toneladas de equipamentos de fôrmas e cimbramentos.

Case 2 — Praça Capital: complexo comercial em Brasília

O Praça Capital, empreendimento da Odebrecht Realizações Imobiliárias e da Brasal Incorporações foi implantado no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), um dos principais polos de desenvolvimento do Distrito Federal. O empreendimento conta com salas comerciais para todos os tipos de empresas e serviços, além de salas corporativas, para reuniões e eventos, e espaços de convivência para variados tipos de encontro. Todos os ambientes são integrados por praças com espelhos d’água e paisagismo. A área do empreendimento, de aproximadamente 140.000 m², contempla a construção de dez torres com 1.310 salas, 97 lojas e 22 restaurantes.

 

A SOLUÇÃO
Nos blocos de fundação, pilares, paredes e bordas das lajes, utilizou-se sistema de fôrmas portáteis, leve e produtivo, ideal para a execução desse tipo de estrutura. Para execução das lajes nervuradas dos edifícios, utilizou-se sistema de cubetas reutilizáveis de de 25 cm e 40 cm de altura. No pico da obra, mais de 10.000 m² do sistema foram utilizados simultaneamente em diversas torres, permitindo adiantar o cronograma, executando a estrutura de quatro, dos cinco blocos, ao mesmo tempo. Para as lajes planas (ou maciças), utilizou-se sistema de cimbramento com número reduzido de peças. Aliado ao uso das vigas metálicas BTM / VP / VS, ou de vigas de madeira industrializada VM20, o sistema consegue minimizar os números de apoios verticais portantes, garantindo uma produtividade otimizada e uma redução do tempo de montagem, gerando uma economia considerável no custo de mão de obra de montagem, se comparado aos sistemas convencionais.

Case 3 — Sede da Petrobras em Santos (SP)

Erguido em meio a galpões tombados do Porto de Santos e sobre solo maleável, o edifício da Petrobras no litoral paulista utilizou sistema autoportante de fôrmas para laje nervurada (cubetas). O sistema constituído de nervuras ou barras, interligadas por uma capa ou mesa de compressão, elimina o concreto desnecessário, ou seja, o que não tem função estrutural na região tracionada, e, por ter maior altura, reduz a necessidade de aço. Em razão das alturas piso a piso impostas pelo projeto, a obra necessitava de um pé direito elevado. Exigia, para isso, uma solução estrutural em lajes planas com capacidade para vencer grandes vãos. Outro ponto importante era encontrar um material que permitisse uma redução considerável de custoscom aço, concreto e mão de obra, sem afetar a qualidade da estrutura.

 

A SOLUÇÃO
Por demandar um volume de concreto bem menor se comparado às lajes maciças, adotou-se para a obra realizada pela Construcap um conjunto de lajes nervuradas. A Atex Brasil foi responsável pelo fornecimento de sistema de fôrmas. A empresa forneceu fôrmas com alturas de 20 cm a 40 cm. O produto foi escolhido pela eficiência das lajes O sistema desenvolvido permite fácil desmontagem das cubetas e reaproveitamento das fôrmas nervuradas. As fôrmas foram colocadas sobre um escoramento apropriado para o sistema, que dispensou o uso de chapas de compensado. Foram utilizados travamentos metálicos a partir de um mecanismo que liberou as fôrmas dentro do prazo estipulado, sem afetar as deformações da estrutura e reduzindo o tempo de instalação.

O sistema desenvolvido permite fácil desmontagem das cubetas e reaproveitamento das fôrmas

PONTO NEUTRO POSSIBILITA PASSAGEM DE TUBULAÇÃO

Cada vez mais avançados, sistemas de montagem e fundição de lajes nervuradas permitem passagem de dutos e tubulações sem alterar a resistência da estrutura.

Abertura para passagem das tubulações em lajes nervuradas reduz ainda mais o consumo de concreto e possibilita a integração das instalações hidráulicas e elétricas ao sistema estrutural. Cada vez mais usada como recurso estético por arquitetos, a laje nervurada exposta está entre os principais destaques em projetos de espaços corporativos. No entanto, um problema enfrentado pelos projetistas é exatamente a exposição dos dutos de hidráulica e elétrica no painel despido de forros e coberturas. A solução proposta pela Atex do Brasil sugere, por meio de um componente adjunto — o Tubex —, a passagem da tubulação entre as cubetas num ponto neutro da estrutura. “O sistema integra o portfólio da empresa e oferece aos construtores mais uma alternativa que reduz custos por meio de O componente se encaixa perfeitamente na curvatura das cubetas e abre a estrutura para a passagem dos dutos Medidas em cm 80 12 21 7ds 40 D ds 12,5 23 DUTO consumo menor de concreto e possibilita soluções diferenciadas para a instalação dos dutos”, explica Angelo Carisio Nasciutti, gerente comercial da empresa.

O componente se encaixa perfeitamente na curvatura das cubetas e abre a estrutura para a passagem dos dutos

Características das lajes nervuradas

  • Possibilita maiores vãos entre pilares. Além disso, permite uma distribuição livre e estratégica dos pilares, proporcionando grande flexibilidade para resolver projetos complexos (vãos,rampas etc.).
  • Suporta maiores sobrecargas.
  • Pode alternar áreas nervuradas e maciças.
  • Tem montagem rápida.
  • Possibilita a montagem prévia da estrutura metálica e posterior colocação das cubetas e compensados.
  • Utiliza somente um martelo na montagem.
  • Longarinas e escoras (ou torres) formam a estrutura portante do sistema. O material recuperável é liberado três dias após a concretagem para a nova área de utilização.
  • Não é necessário re-escorar ou mover as escoras até a remoção completa do escoramento.
  • Grande produtividade de montagem. Carros ou torres móveis para a montagem se movem com facilidade (ampla distância entre escoras).
  • Está em alta na arquitetura. As cubetas são destacadas no interior de edifícios corporativos sem o uso de forro, com iluminação focal.

Veja também: