Editorial: engenharia plena

O momento é de crise e, talvez por isso, a engenharia nunca tenha sido tão necessária. Alguém pode perguntar: mas de que engenharia estamos falando? Afinal, a engenharia é signatária de grandes obras no País. Nada a declarar neste sentido. Não se trata da aplicação prática de conhecimentos técnicos ou tecnologias, mas sim da necessidade de gerir bem esse know-how, sob o risco de perdermos conquistas importantes dos últimos anos. A reportagem de capa desta edição, que relaciona sistemas construtivos industrializados ao debate sobre conceitos e estratégias de gestão, mostra como construtoras do segmento popular (serve para todas, na verdade) devem valorizar a eficiência em seus processos produtivos para perpetuar-se. A questão pode parecer retórica, mero discurso, mas não é. Ainda nesta edição, um artigo de professores do departamento de Engenharia de Produção da Escola de Engenharia de São Carlos (USP) destaca justamente o perfil gerencial exigido do engenheiro atual. O engenheiro administrador “é o cara” que o mercado procura. Esta edição contempla ainda temas não menos importantes de engenharia, como a segurança no trabalho e a segurança das obras entregues à população, que precisam de avaliação técnica de projeto – tema do engenheiro Eduardo Barros Millen, diretor da Abece. Todos esses assuntos dizem respeito diretamente ao nosso dia a dia e à boa engenharia.

Eder Santin

Veja também: