Editorial: patologia às claras

Ninguém gosta de ver manifestações patológicas na obra, especialmente em construções recentes. Para quem constrói, elas significam custos extras e retrabalho; para o usuário final, redução de desempenho e dor de cabeça com um quebra-quebra inesperado. Esconder o problema debaixo do tapete, porém, nunca é a melhor solução. O estudo das anomalias das construções é essencial para identificar as suas causas e formular planos de ação para que eles não voltem a ocorrer. Nesta edição, o assunto está presente em muitas reportagens. Na entrevista do mês, o engenheiro Carlos Britez aponta os principais cuidados e recomendações para quem quer construir edifícios de paredes de concreto com qualidade e desempenho. O engenheiro participou do 2º Congresso Brasileiro de Patologia das Construções, realizado no mês de abril, em Belém, cuja cobertura você também encontra nas próximas páginas. A reportagem sobre revestimentos de fachada também traz orientações de projeto, de escolha de materiais e de execução para evitar problemas nos revestimentos de fachada de edifícios residenciais. Não deixe de ler, ainda, a reportagem de capa sobre como as construtoras lidam com obras em canteiros apertados. Boa leitura!

Renato Faria

Veja também: