IPT realiza, pela primeira vez, monitoramento remoto de fachada de edificação durante obra | Téchne

Tecnologia

Notícias

IPT realiza, pela primeira vez, monitoramento remoto de fachada de edificação durante obra

Equipamentos medem deslocamentos da estrutura e comportamento de fissuras sem a necessidade de uma equipe no local

Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb
9/Março/2017

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) foi contratado pela Apsen Farmacêutica para monitorar remotamente a segurança estrutural de uma fachada antiga de seu edifício em São Paulo que está sendo reformado. A preocupação era de que o serviço pudesse causar abalos ou traumas, principalmente porque as operações da empresa não teriam interrupção.

O primeiro projeto de monitoramento remoto realizado pelo IPT teve início em 2012 durante as obras de reforma da Ponte Pênsil, em São Vicente, e durou até 2015, ano de liberação da passagem de veículos. "É a primeira vez que o IPT realiza essas medições remotamente em uma edificação. Anteriormente os dados eram colhidos in loco com equipamentos analógicos", afirma Diego Lapolli Bressan, engenheiro civil e pesquisador do IPT.

O projeto na Apsen Farmacêutica teve início em dezembro de 2016 e terá a duração de 12 meses. Isso porque serão consideradas todas as fases do ano na avaliação do comportamento da estrutura, passando por todas as estações do ano e variações de temperatura - além de correlacionar o comportamento da estrutura e as intempéries.

No monitoramento remoto não é necessário o deslocamento de uma equipe técnica do IPT para a obra. Equipamentos como o clinômetro, que avalia se uma parede está inclinando ou não, e medidores de deslocamento linear, que verificam os deslocamentos dinamicamente, fazem o trabalho. Além disso, também foram instalados medidores de temperatura que permitem correlacionar as temperaturas registradas com o comportamento das fissuras.

"Caso se perceba algum movimento significativo, como uma tendência de inclinação, um alerta ao cliente para a tomada de alguma ação será gerado em tempo real, por e-mail ou para o celular", completa Fabio Ioveni Lavandoscki, também pesquisador da Seção de Engenharia de Estruturas do IPT.