Shopping em Fortaleza utiliza estrutura de madeira em praça de alimentação | Téchne

Projetos

Notícias

Shopping em Fortaleza utiliza estrutura de madeira em praça de alimentação

Estrutura de madeira de 4.500 m² será feita com madeira laminada colada. Vídeo mostra a sequência de montagem

Isabelle A. Dal Maso - atualizado em 24/01/2014 às 17h40
16/Janeiro/2014

Projetada pelo escritório La Guarda Low Architects e realizada pelos grupos Carpinteria Estruturas de Madeira e Moretti Interholz, a praça de alimentação do shopping Iguatemi Fortaleza que será entregue ainda este ano chama a atenção por ter uma cobertura de 4.500 m² feita inteiramente de uma estrutura de madeira.

A estrutura será feita de abeto (árvore conífera) usando a técnica da madeira laminada colada e, no total, serão utilizadas 1.200 m³ desse material, sendo toda a madeira proveniente de florestas de reflorestamento na Áustria.

Como explica Alan Dias, engenheiro civil, calculista e sócio-diretor da Carpinteria, "a escolha da madeira foi primeiramente estética, pois a ideia era trazer sua beleza ao local mais frequentado do shopping. Além disso, sabe-se que a madeira é o melhor material para vencer grandes vãos internos, por ser pelo menos 10 vezes mais leve que o aço e quatro vezes mais leve que o concreto armado". O vão da cobertura chega a 48 m.

O material foi especificado durante a concepção arquitetônica do projeto, pois não seria possível fazer as curvas com madeira maciça. "Neste projeto existem peças de seção 20 cm x 140 cm com 20 m de comprimento e curvada nas duas direções. Só com a tecnologia da madeira laminada colada, que possui lâminas finas que podem ser curvadas e coladas entre si, foi possível produzir tais peças", disse.

Todas as peças serão trazidas da Itália, num total de 40 contêineres. Segundo Dias, graças ao tamanho do projeto, os custos com o transporte e com impostos compensaram: "A indústria de madeira laminada colada no Brasil ainda está engatinhando para poder fornecer a quantidade de peças necessária no tempo previsto. Além disso, a tecnologia de produção na Itália está pelo menos 40 anos à frente da nossa, por isso compensou o custo de importação. Custou quase metade do que produzi-la por aqui".

Execução

Uma das grandes dificuldades em projetar estruturas curvas são as ligações. Na madeira existem diversas formas de unir as peças, como pregos, parafusos, barras, pinos, colas e chapas metálicas. No caso especifico desta cobertura, havia curvas nas duas direções, ou seja, as vigas faziam um "S", o que poderia gerar uma inversão de esforços de tensão e compressão em certos pontos da estrutura. Um dos cuidados, portanto, foi fazer uma pré-montagem da curva no chão antes de posicioná-la, para não haver nenhum erro de medida.

"Também procuramos travar as vigas pra evitar a flambagem lateral das peças de madeira, e especificamos contraventamentos com cabos de aço ou peças de madeira pra evitar a movimentação da estrutura devido à ação dos ventos", enfatizou Dias.

A montagem da estrutura foi feita com chapas de aço galvanizado nas ligações das peças de madeira, de espessura variando de 3/16" a 1/4", e foram utilizados pinos metálicos e parafusos passantes com porca e arruela. No resultado final, as chapas não serão vistas, pois estarão embutidas dentro da madeira.

A fixação da estrutura na fundação de concreto é feita por uma base metálica de aço galvanizado com 20 mm de espessura. Essa base possui duas linguetas que entram nos pilares de madeira, fixadas com pinos metálicos e parafusos passantes. Cada lingueta tem aproximadamente 1 m de altura, projetada para absorver uma porcentagem do momento fletor gerado pela estrutura de madeira.

Outra característica da base metálica é que ela eleva a base do pilar a aproximadamente 40 cm do chão, para que ela fique longe da umidade do solo, evitando um possível apodrecimento do pé do pilar.

A sequência da montagem das peças começa pelos dois pórticos centrais, com 48 m de vão livre. Depois de montados no chão e içados por guindaste, os pórticos são travados com as terças da cobertura e com os cabos de contraventamento. Eles são montados no chão e içados por um guindaste pra serem posicionados. Funcionarão então como uma "mesa", com os quatro pés apoiados no chão, dando rigidez para a montagem dos pórticos posteriores. Assim que todos os pórticos são montados, é feita a fixação das terças e das peças curvas para recebimento da cobertura de policarbonato.

A previsão é de que toda a estrutura esteja montada dentro do prazo de cinco meses.