Para pesquisador da Poli-USP, a otimização da produtividade está relacionada à expansão da logística para além do canteiro | Téchne

Entrevista

Para pesquisador da Poli-USP, a otimização da produtividade está relacionada à expansão da logística para além do canteiro

Processo deve envolver projetistas e fornecedores de materiais, entre outros itens, segundo Ubiraci Espinelli Lemes de Souza

Bruno Loturco
Edição 241 - Abril/2017

 

UBIRACI ESPINELLI LEMES DE SOUZA

Mestre, doutor e livre-docente em construção civil, professor do Departamento de Construção Civil da Poli-USP desde 1984 e diretor das empresas Produtime e Indicon Gestão e Tecnologia, ele tem ampla atuação na gestão da construção. Tanto no âmbito acadêmico quanto em suas atividades comerciais, tem como foco estudos sobre produtividade, canteiro de obras, planejamento, orçamento e custos, desenvolvimento de sistemas construtivos etc. Nesta entrevista, ele comenta sobre como a logística de um canteiro de obras influencia diretamente diversos aspectos relacionados à produtividade de uma obra. De acordo com o pesquisador, para otimização de processos e conciliação de interesses entre as diversas disciplinas que constam de uma obra, seria importante que os projetistas participassem ativamente da concepção logística do canteiro, concebendo não apenas com foco na operação, mas também no processo de execução.

Quais são os principais elementos que influenciam a produtividade dentro de um canteiro de obras?
Há três fatores fundamentais que influenciam a produtividade. O primeiro deles é o próprio produto, que pode ser mais fácil ou mais difícil de ser feito. Depois, vem o processo que vai ser adotado para a execução. Ambos são anteriores ao trabalho dentro do canteiro e influenciam a produtividade. Por fim, dentro do canteiro, temos a organização desse processo e do trabalho. Então, ao falar de produtividade em canteiro de obras, é preciso conceber uma organização do trabalho que permita que os projetos do produto e do processo sejam seguidos da maneira mais eficiente possível.

Para melhor entendimento, como podemos diferenciar essas etapas?
Costumo chamar a logística dentro do canteiro de obras de intralogística. É essa que tem total interface com o transporte de materiais desde a entrega por parte do fornecedor até o momento de chegar à mão do operário que vai aplicá-los. Todo esse processo depende muito do canteiro de obra no que se refere aos posicionamentos de estoques e dos processamentos intermediários e final dos materiais, pois, o layout é determinante para a quantidade de movimentações necessárias. Em geral, há movimentação no momento de descarregar os materiais que estão sendo recebidos. É preciso levá-los ao local de estoque. Há casos em que é necessário fazer um ou mais processamentos intermediários; e o transporte é ainda necessário para se chegar ao local do processamento final, isto é, de tornar o material ou o componente uma parte da edificação sendo produzida.

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista Téchne

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos