Quais os procedimentos que devem ser adotados para investigar e solucionar a baixa resistência do concreto na laje? | Téchne

IPT Responde

Quais os procedimentos que devem ser adotados para investigar e solucionar a baixa resistência do concreto na laje?

Envie sua pergunta para o email techne@pini.com.br

Edição 236 - Novembro/2016
 

Resistência do concreto

Em uma obra de um condomínio habitacional estão sendo construídos 15 blocos de apartamentos com quatro pavimentos cada em alvenaria estrutural. Surgiu, na obra, uma dúvida em relação ao concreto das lajes. O que houve? Nos corpos de prova de concreto moldados na obra, dois corpos de prova ficaram aos 28 dias com valores de resistência à compressão axial abaixo do resultado esperado: 14 MPa e 12 MPa, sendo o Fck de projeto 25 MPa. O concreto usinado foi fornecido por uma empresa concreteira localizada na mesma região da obra. Os corpos de prova rompidos pela concreteira apresentaram valores adequados. Em cada laje foram lançados, em média, três caminhões-betoneira de concreto. Quais os procedimentos que devem ser adotados para investigar e solucionar a questão, caso seja comprovado o problema?
Daniel A.

É relativamente frequente o concreto apresentar resistência um pouco abaixo daquela requerida, mas nunca na intensidade informada - cerca de 50% da resistência característica especificada. Na situação de lajes, salvo casos excepcionais, valores de resistência de até 10% a 15% abaixo da resistência especificada normalmente podem ser absorvidos pelos próprios coeficientes de ponderação adotados no projeto, sem a necessidade de reforços. Supondo que o concreto lançado foi bem rastreado, isto é, o problema aconteceu com o concreto de um caminhão- -betoneira específico, e se conhece exatamente onde o correspondente concreto foi lançado, pode-se recorrer à extração de corpos de prova e, por meio de ensaios, constatar se de fato o concreto apresenta pequena resistência ou se aconteceu algum problema com os corpos de prova originais ou mesmo com a execução dos ensaios de controle. Considerando a pequena altura da laje, podem ser extraídos corpos de prova com 5 cm de diâmetro, fazendo-se as devidas correções de acordo com a norma ABNT NBR 7.680:2015 - "Concreto: Extração, preparo, ensaio e análise de testemunhos de estruturas de concreto". Consultado o engenheiro projetista da estrutura, e constatada a resistência insuficiente do concreto, pode-se recorrer a um projeto de reforço da laje, com a colagem de chapas de aço, mantas de fibra de carbono, concreto projetado ou outras técnicas. Para a recuperação de lajes, contudo, normalmente a solução mais barata consiste na demolição do concreto comprometido, pequeno reforço das armaduras e reconcretagem do trecho sob suspeita.

Impermeabilização

Em uma determinada edificação está ocorrendo infiltração de água em uma parede erguida ao lado de um aterro. O problema é que esta parede não teve impermeabilização adequada e falta um projeto de drenagem ao aterro. Que soluções seriam possíveis nesta situação, considerando que a parede tem função estrutural e, portanto, não pode ser refeita?
Flávio Henrique P

A solução correta consiste na escavação do aterro, lateralmente à parede com umidade, e aplicação de impermeabilização em toda a face em contato com o solo, estendendo-se o sistema de impermeabilização também para a respectiva fundação. Caso por qualquer motivo não seja viável tal procedimento, pode-se tentar recorrer à impermeabilização negativa, a ser realizada pelo lado da parede oposto àquele do aterro, recorrendo- se no caso a sistemas de cristalização e/ou aplicação de cimentos poliméricos. Se as surgências de água ocorrerem em pontos localizados, pode-se tentar resolver o problema com injeções localizadas de poliuretano ou outra resina hidroexpansível. Nesse último caso, contudo, existe forte possibilidade de que a água que percolava por um local venha a aflorar em posições vizinhas. Se o nível d'água do local for bastante profundo, e a presença de umidade resulta da ocorrência de chuvas, pode-se tentar recorrer à drenagem superficial ou mesmo impermeabilização da área vizinha à parede com umidade, trabalhos a serem realizados no terreno do vizinho. Se houver espaço, pode-se também recorrer a uma parede falsa, paralela à parede com problemas de umidade, intercalando-se entre uma e outra canaleta de captação e condução da água infiltrada.
Engo Ercio Thomaz
Centro Tecnológico do Ambiente Construído (Cetac)

 

Destaques da Loja Pini
Aplicativos