Concreto autoadensável se mostra como alternativa viável para o mercado | Téchne

Tecnologia

Concreto autoadensável se mostra como alternativa viável para o mercado

Concretagem rápida, homogênea e de bom acabamento superficial são vantagens do material, que não deve ser confundido com concreto fluido

Nanci Corbioli
Edição 236 - Novembro/2016
 

Divulgação: Rafael Francisco Cardoso dos Santos
Ensaio de espalhamento de concreto autoadensável

Há cerca de três décadas, o concreto autoadensável (CAA) surgiu no Japão como uma significativa inovação tecnológica. Ao longo dos últimos 15 anos, ele conquistou terreno no Brasil, principalmente na indústria de pré-moldados, nas obras de arte com elevadas taxas de armadura e também no sistema de paredes de concreto moldadas in loco. O motivo, neste caso, é a possibilidade de uma concretagem rápida, homogênea e com bom acabamento superficial após a desenforma, o que reduz o tempo entre os ciclos de concretagem das paredes, explica o engenheiro Rafael Francisco Cardoso dos Santos, pesquisador e supervisor de ensaios em concreto do Laboratório de Materiais de Construção Civil do IPT.

Autor da dissertação de mestrado 'Estudo de concretos autoadensáveis, com aditivo incorporador de ar, utilizados na produção de paredes de concreto armado moldadas no local', Rafael dos Santos lembra que o CAA foi desenvolvido com a finalidade de resolver problemas de produção por falta de mão de obra qualificada nas obras maiores, especialmente nas que apresentam elementos estruturais com grandes dimensões, elevadas taxas de armadura e pontos de difícil acesso. 'O CAA consegue preencher os elementos estruturais de forma homogênea e sua composição possibilita a produção de concreto com baixo calor de hidratação. Seu uso é muito vantajoso em obras com estruturas em concreto aparente', afirma.

Uma de suas principais características é a elevada fluidez, o que tem feito com que o CAA seja confundido com o concreto fluido. Talvez essa confusão tenha origem na ABNT NBR 8.953:2011 Concreto para Fins Estruturais - Classificação pela Massa Específica, por Grupos de Resistência e Consistência, que classifica o concreto com 220 mm de abatimento como concreto fluido, valor considerado acima da maioria dos concretos convencionais normalmente utilizados em grande parte das obras. De acordo com Rafael dos Santos, o fato de apresentar um abatimento elevado não significa que um concreto seja capaz de se espalhar e preencher os espaços das fôrmas apenas pela ação da força da gravidade, sem ser obstruído, e apresentar estabilidade da mistura suficientemente capaz de resistir à segregação e exsudação. 'O CAA é um concreto definido basicamente por atender às propriedades de preenchimento total das fôrmas somente pela ação da força da gravidade, sem a necessidade de vibração mecânica, e sem que ocorra segregação ou exsudação de seus componentes e bloqueio ao passar por obstáculos, como armaduras ou seções estreitas. Para que um concreto seja considerado autoadensável, ele deve apresentar um elevado espalhamento, e não abatimento, habilidade passante e estabilidade da mistura suficiente para que seja preenchido todo o espaço dos elementos estruturais, não havendo segregação, exsudação, falhas de concretagem ou vazios', define o pesquisador.

Conteúdo exclusivo para assinantes da revista Téchne

Outras opções