O engenheiro civil como administrador: habilidades e perfis gerenciais | Téchne

Artigo

O engenheiro civil como administrador: habilidades e perfis gerenciais

Pesquisadores discutem habilidades técnicas, humanas e conceituais necessárias aos gerentes na engenharia

Edição 231 - Junho/2016

Fábio Müller Guerrini
Professor-associado do departamento de Engenharia de Produção da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo
guerrini@sc.usp.br

Marcel Andreotti Musetti
Professor-doutor do departamento de Engenharia de Produção da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo
musetti@sc.usp.br

A formação do engenheiro civil enfatiza o desenvolvimento de habilidades técnicas, direcionadas para o dimensionamento e o projeto. Entretanto, o setor da construção civil tem especificidades que demandam um perfil mais gerencial desses profissionais. Essa realidade se impõe nas atividades de empresas, nas atividades de produção relacionadas às opções do projeto do produto e nos mecanismos de coordenação do relacionamento entre empresas de construção civil.

As atividades de empresas no setor da construção civil caracterizam-se pelos diferentes âmbitos em que são realizadas. Na empresa, as atividades não têm compromisso imediato com qualquer empreendimento. Estão relacionadas com sistemas, profissionais, procedimentos e acervos. No empreendimento, as atividades são 'disparadas', com objetivos gerados a partir de contratos em andamento dentro da empresa. É o espaço para elaboração de projetos, definição das especificações técnicas, do gerenciamento etc. Na obra, realizam-se as atividades de produção.

O projeto do produto da construção civil apresenta diferentes características e particularidades inerentes ao subsetor que está inserido. As atividades realizadas na obra têm a participação de um grande número de empresas, com interesses diversos, e que muitas vezes interferem decisivamente no processo de produção. Há diferentes mecanismos de coordenação do relacionamento entre empresas na construção civil que estão relacionados com o grau de incerteza do mercado e o grau de complexidade da coordenação. Nesse sentido, as atividades de coordenação dos diversos profissionais e empresas envolvidos nas diferentes fases de uma obra demandam profissionais com perfis gerenciais baseados em habilidades técnicas, humanas e conceituais. O sucesso de um projeto enquanto um empreendimento/obra possui como fator determinante o direcionamento da gerência para as atividades produtivas, observando prazos, custos e qualidade esperada.

Conteúdo exclusivo para assinantes da revista Téchne

Outras opções