Como escolher entre o corte ou as juntas plásticas em juntas de dilatação de concretagem em lajes/pisos? | Téchne

IPT Responde

Como escolher entre o corte ou as juntas plásticas em juntas de dilatação de concretagem em lajes/pisos?

Envie sua pergunta para o email techne@pini.com.br

Edição 231 - Junho/2016
 

Marcelo Scandaroli

Juntas de concretagem
Estamos realizando a concretagem de uma laje de estacionamento elevada de cerca de 490 m². Para a execução das juntas de dilatação, o engenheiro de estruturas sugere que sejam feitos cortes. Outra opção seria o uso de juntas plásticas, mas isso pode gerar enfraquecimento da estrutura. Qual a orientação para este caso, considerando se tratar de uma mesma concretagem para execução de laje e piso?
Vagner Pacheco, por e-mail

Pelo que entendi, trata-se da introdução de juntas de controle superficiais, para evitar a ocorrência de fissuras de retração no concreto. Nesse caso, a laje deve ter sido dimensionada para trabalhar com valor da altura útil, isto é, descontando-se a profundidade dos cortes a serem introduzidos ou das juntas plásticas a serem instaladas.

Assim sendo, tanto faz introduzir cortes com profundidade de 2 cm ou instalar juntas plásticas com a mesma altura, já que o efeito será o mesmo: redução da altura/seção resistente da laje.
Engenheiro Ercio Thomaz
Centro Tecnológico do Ambiente Construído (Cetac)

Aditivos para concreto
Em que situações é indicado o uso de aditivo retardador de pega no concreto?

Os aditivos retardadores de pega visam a postergar o início das reações químicas entre o cimento e a água, aumentando, portanto, o tempo de início de pega do cimento. Recorre-se tipicamente a esse recurso nos seguintes casos:
- A usina de concreto encontra-se relativamente longe da obra;
- Existe tráfego muito intenso entre a usina e a obra;
- A concretagem será executada com tempo muito quente;
- Ocorreu algum problema na logística da obra ou na produção da estrutura (como entupimento de tubulação de bombeamento, quebra do próprio equipamento de bombeamento, abertura da fôrma etc.), e não se deseja perder o concreto disposto nos caminhões-betoneira que se encontram à espera.

Outra utilização típica dos aditivos retardadores de pega ocorre em indústrias de pré-moldados, quando se deseja, por exemplo, a produção de painéis arquitetônicos com agregados à mostra. Nesse caso, funde-se o painel com concreto normal, utilizando-se o retardador de pega apenas no microconcreto decorativo aplicado na superfície do painel. Quando o concreto principal apresenta resistência suficiente procede-se a desenforma, aspergindo-se água sobre a superfície decorativa no sentido de remover a nata ainda não endurecida e expor os agregados. Embora não seja frequente, o mesmo aditivo e a mesma técnica podem ser empregados para a produção in loco de massa lavada/fulget.
Engenheiro Ercio Thomaz
Centro Tecnológico do Ambiente Construído (Cetac)