Projeto e controle tecnológico são fundamentais para garantir desempenho de revestimentos de fachada | Téchne

Projetos

Projeto e controle tecnológico são fundamentais para garantir desempenho de revestimentos de fachada

Saiba quais os principais cuidados para evitar manifestações patológicas prematuras nos revestimentos externos de edifícios habitacionais

Eduardo Campos Lima
Edição 230 - Maio/2016
Marcelo Scandaroli
Um dos maiores problemas envolvendo o revestimento de fachadas é a dosagem de água da argamassa

Embora tenha havido avanços significativos na qualidade dos revestimentos de fachada em obras residenciais, ainda é comum a ocorrência de manifestações patológicas envolvendo tanto argamassa como placas cerâmicas, que são as duas soluções mais utilizadas. Na base das patologias, geralmente estão a ausência ou insuficiência de projeto específico para o revestimento da fachada e problemas na execução.

Conforme lembra a engenheira Fabiana Andrade Ribeiro, da FCH Consultoria e Projetos de Engenharia, um dos principais tipos de patologia em fachada é a fissuração, gerada por movimentações da estrutura e por dilatação térmica.

As fissuras permitem a infiltração de água na edificação, o que agrava os problemas na própria fachada e pode levar a danos em outras camadas. Em regiões muito quentes, o problema se agrava nos últimos pavimentos dos edifícios, de acordo com Angelo Just, diretor técnico da Tecomat Engenharia e professor da Universidade de Pernambuco (UPE) e da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). 'Ainda não existe a cultura de fazer tratamento térmico na laje de cobertura', afirma.

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista Téchne

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.