Aspectos técnicos e práticos para escolha de rochas de revestimento | Téchne

Artigo

Aspectos técnicos e práticos para escolha de rochas de revestimento

Pesquisadores do IPT apresentam recomendações para avaliação do desempenho de peças naturais

Edição 224 - Novembro/2015

Fabio Conrado de Queiroz
Pesquisador do Laboratório de Materiais de Construção Civil do Centro de Tecnologia de Obras de Infraestrutura do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT).
fconrado@ipt.br

Eduardo Brandau Quitete
Pesquisador do Laboratório de Materiais de Construção Civil do Centro de Tecnologia de Obras de Infraestrutura do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT).
quitete@ipt.br

Divulgação dos autores
Figura 1 Tear para corte de blocos

O uso de rochas como revestimento tem crescido no ambiente construído. Porém, há no mercado um amplo desconhecimento técnico relacionado à qualidade, à durabilidade e às necessidades de manutenção desse tipo de material. O conhecimento das características das rochas, com amparo em valores especificados por normas e em comparações com materiais tradicionalmente conhecidos no mercado, pode auxiliar especificadores e vendedores na escolha e definição do produto adequado a cada tipo de uso.

A utilização das rochas de revestimento sem embasamento técnico torna mais frequentes as queixas relacionadas a manchas ou desgastes do piso, quebras de tampo ou das bordas de pias, mudança de cor ou perda de brilho de fachada. Tais fenômenos, chamados de patologias das rochas, podem ser causados por fatores ligados ao processo de beneficiamento do material (corte, desbaste e polimento), ilustrados nas figuras 1 e 2, as deficiências na aplicação, as reações químicas adversas com materiais usados em sua aplicação (por exemplo, argamassas de assentamento) ou à sua manutenção.

Conteúdo exclusivo para assinantes da revista Téchne

Outras opções

Destaques da Loja Pini
Aplicativos