Prova comentada - Construção de Edifícios I | Téchne

Téchne Educação

Prova comentada - Construção de Edifícios I

Mesclando testes e questões dissertativas, avaliação exige que alunos exponham seus conhecimentos sobre escolha de terreno, tipos de fundação, concretagem de pilares, cura de concreto e definição de lajes

Alexandre Tomazeli
Edição 208 - Julho/2014
 

Fotos: Alexandre Tomazeli

No curso de engenharia civil da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a avaliação do aluno na disciplina Construção de Edifícios I é composta por quatro provas, sendo uma substitutiva e um trabalho prático na aula de projeto. Parte das provas é elaborada na forma de testes de múltipla escolha ou associação entre definições técnicas de sistemas construtivos. Outra parte se desenvolve por meio de perguntas com respostas dissertativas. A proporção entre testes e perguntas costuma variar de 70% a 30%, respectivamente.

Os testes são para verificar se o aluno atendeu aos critérios mínimos ministrados em aula, em que foram expostas e ilustradas especificações dos métodos construtivos e materiais de construção empregados na construção de edifícios. Já a avaliação dissertativa verifica como o aluno organiza e expressa textualmente o conhecimento, assim como avalia a qualidade da redação e a ortografia. Como já abordamos em uma Prova Comentada de edição anterior, os professores consideram obrigatório ao engenheiro civil saber se expressar na sua vida profissional.

Como toda a matéria é ministrada durante o semestre, com a projeção de 700 slides, entendo que cobrar tudo isso numa prova seria muito difícil tanto para fazer uma única avaliação quanto para o aluno conseguir estudar tudo de uma vez. A primeira avaliação, denominada P01, é dada no meio do semestre e tem por objetivo dividir o conteúdo da matéria ministrada até então para não acumular tanto para os alunos estudarem.

Depois, na Prova de Avaliação Intermediária Escrita (Paie) é abordado o conteúdo que envolve o restante da matéria. Caso o aluno não atinja a nota de corte (7,5 pontos), ele poderá fazer a prova substitutiva, cujo resultado poderá substituir tanto a nota P01 quanto a Paie, caso alguma delas seja menor.

Na hipótese de o aluno não atingir a nota de corte, ele terá que fazer a Prova de Avaliação Final (PAF), que envolve 100% da matéria. Essa prova é a mais difícil, não pelas perguntas em si, mas por envolver todo o conteúdo da matéria. Para ele ser aprovado na disciplina, a média final deve ser 6. Na prova apresentada a seguir, as duas primeiras perguntas são de uma Paie, e as outras três são de uma PAF.

As perguntas com respostas dissertativas envolvem tanto o conhecimento teórico e prático dos processos construtivos quanto situações em que comento alguma patologia que tenha ocorrido na obra, explicando onde foi que o engenheiro se equivocou na escolha de um método construtivo e qual o método correto que deveria ter aplicado.

Em relação ao gabarito, nas questões-teste, claro que a resposta é certa ou errada, e o aluno não tem muito que discutir quando é feita a vista de prova. O mesmo vale para perguntas com respostas conceituais. Porém, nas questões dissertativas, vai muito do entendimento da matéria e como ele se expressa. Nesse ponto, o poder de argumentação do aluno é potencializado na vista de prova.

 

Acervo pessoal

Alexandre Tomazeli
toten@toten.eng.br
Engenheiro civil formado pela Unip-Objetivo (1988 a 1993), especialista em Edificações pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2006) e mestrando no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) do Estado de São Paulo, na área de Concentração em tecnologia das edificações (previsão de término: 1º semestre/2015). É professor da Escola de Engenharia Civil da Universidade Presbiteriana Mackenzie, campus Higienópolis, nas disciplinas de: Laboratório de Materiais de Construção II (professorassistente), Construção de Edifícios I e II, e Patologia e Terapia das Construções. É diretor técnico do escritório de projeto e consultoria Toten - Tomazeli Tecnologia e Engenharia Ltda., onde atua como especialista na área de tecnologia do concreto, patologia das construções e projetista na área de produção e revestimentos de fachadas de edifícios e piscinas.

 

Acesse aqui o gabarito

? Escolha do terreno
Descreva cinco considerações que devem ser levadas em conta na escolha do terreno para um hipotético cliente para construção de uma edificação.

Marcelo Scandaroli

Comentários
O aluno precisa lembrar que esta é uma etapa importante de coleta de dados e informações de terreno para o cliente hipotético, que deseja construir sua casa ou edifício. Ele precisa também oferecer diretrizes importantes quanto ao método construtivo a ser adotado, à variação das questões de custo, segurança, à salubridade da edificação, entre outros intervenientes que deverão ser levados em conta na definição do projeto preliminar. Neste caso a ABNT NBR 13.531 - Elaboração de Projetos de Edificações - Atividades Técnicas, elenca as atividades técnicas do projeto de edificações. Uma delas é a escolha do terreno.

 

? Definição do tipo de fundação
Qual a definição de uma fundação rasa/direta? Descreva os cinco tipos construtivos deste tipo de fundação.

Fotos: Alexandre Tomazeli

Comentários
A pergunta é bem objetiva e conceitual. Portanto, o aluno deverá se lembrar da definição do item 3.1 da ABNT NBR 6.122:2010 - Projeto e Execução de Fundações, que define o termo Fundações Rasas, explanado em aula, e dos sete tipos de elementos de fundações superficiais da mencionada norma. Relacionar pelo menos cinco delas.

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>