Editora PINI lança novo TCPO 14 | Téchne

Reportagem

Editora PINI lança novo TCPO 14

Edição 181 - Dezembro/2011
 

A Editora PINI lança a 14ª edição da publicação Tabelas de Composições de Preços para Orçamentos (TCPO 14). A edição traz mais de 4 mil composições de custos para o mercado da construção, subsídios para modelagem das composições e também informações sobre pontos críticos na fase pré-obra.

Nesta nova versão, as composições foram atualizadas, com a eliminação de itens obsoletos e o acréscimo de novas tabelas, como as de seguro de equipamentos e licenciamento.

Uma das novidades é a classificação das composições por consumo mínimo, médio e máximo, ou seja, considerando a produtividade variável. Antes, as composições do TCPO eram dadas pela média. Agora, dependendo da realidade da construtora e do empreendimento, é possível ajustar os coeficientes.

Os fatores que promovem a variação do consumo de materiais ou a produtividade da mão de obra são listados nas tabelas de fatores de influência, que acompanham cada composição com produtividade variável. Assim, essas tabelas listam os parâmetros que "puxam" a produtividade e o consumo para mais ou para menos.

Na execução de alvenaria de vedação com blocos de concreto, por exemplo, são variáveis tanto a produtividade dos pedreiros e serventes como o consumo de argamassa e de blocos. A composição dá os consumos mínimo, médio e máximo desses itens, e a tabela de fatores de influência, com itens que interferem na velocidade do serviço (uso de blocos modelados x cortados, presença x ausência de juntas verticais, etc.).

Outra nova inserção no TCPO 14 é a conceituação do ciclo de vida do empreendimento. Logo no início do livro, são explicados os conceitos de pré-obra e pós-obra. Também foram definidas e criadas na árvore de serviços etapas específicas para pré-obra, segurança e saúde, sistemas e soluções ecológicas, gestão de resíduos, e encerramento e pós-obra.

As composições de custo começam com os serviços iniciais e segurança e saúde. Também são tratadas etapas importantes de execução, com os custos dos itens de infraestrutura, superestrutura, alvenarias, fechamentos e divisórias e coberturas, além de impermeabilização, isolamento térmico e acústico e esquadrias. Na parte de instalações prediais, são apresentadas composições de sistemas hidráulicos, sistemas sanitários e pluviais, sistemas de prevenção e combate a incêndio, sistemas elétricos, automação, sistemas lógicos e de telecomunicação, sistemas de proteção contra descargas atmosféricas, ar-condicionado, ventilação e exaustão. Há também revestimentos primários de superfícies, forros, pisos, revestimentos de paredes, pinturas, louças, metais e acessórios, vidros, e, por fim, sistemas de segurança, urbanização e serviços externos, transporte, serviços complementares e equipamento (custo-horário).

No final do livro, uma análise do contexto atual da produtividade precede as tabelas com as médias de produtividade variável da execução de diversas etapas, como fundações, concretagem, armação, sistemas prediais e revestimentos. Além do formato em livro, o TCPO 14 também está disponível em versão CD-ROM e TCPO Modelatto. A versão com CD-ROM traz, além de maior número de composições, modelo de cálculo de BDI, opção de inclusão de BDI e LS e exportação de composições para Excel.

Já o TCPO Modelatto, além dessas funções, também permite fazer o ajuste dos coeficientes de consumo de materiais e mão de obra, ou seja, pode-se ajustar a produtividade variável para mínimo, médio ou máximo, a partir da realidade de uma obra em particular. Além disso, como o Modelatto é uma assinatura, permite ajustes de composições e mesmo atualização das novas composições que sejam criadas pela PINI nos próximos anos.

 

TCPO 14
Autor: PINI
Páginas: 640
Fone: 4001-6400 (principais cidades) e 0800-596-6400
Disponível na Loja PINI
www.LojaPINI.com.br

 

Norma de parede de concreto moldada in loco é aprovada

Foi aprovada a norma técnica sobre projeto e execução de paredes de concreto moldadas in loco com fôrmas removíveis para a construção de edificações, elaborada pela Comissão de Estudo de Parede de Concreto (CE-02:123.05) do Comitê Brasileiro da Construção Civil (ABNT/CB-02). A norma aborda requisitos gerais para qualidade da parede, critérios de projeto, propriedade de materiais, limites para dimensões, deslocamentos e aberturas de fissuras, análise estrutural, dimensionamento e os procedimentos de execução. O documento se aplica somente às paredes concretadas com todos os elementos que farão parte da construção final, e considera as lajes incorporadas ao sistema por solidarização com as paredes, tornando o sistema monolítico. No caso de qualquer modificação no sistema construtivo que o descaracterize como enquadrado na nova norma, ele continuará sendo tratado como sistema inovador, devendo obter um Documento de Avaliação Técnica (Datec) junto ao Sistema Nacional de Avaliações Técnicas (Sinat). Até o fechamento desta edição, a norma ainda não havia sido publicada.

Fundação Vanzolini lança selo de sustentabilidade para materiais de construção

Foi lançado em março o selo RGMat para materiais de construção sustentáveis. Desenvolvida pela Fundação Vanzolini, a mesma que emite o selo Alta Qualidade Ambiental (Aqua), a certificação engloba o conceito de declaração ambiental, pois é baseada na avaliação do ciclo de vida do material. Para obtenção do selo, são feitas três abordagens sobre o produto: conformidade técnica, desempenho ambiental e conforto e saúde. Para a aferição do desempenho ambiental, a empresa fabricante deve realizar a análise do ciclo de vida e a declaração ambiental do produto, aferidos pela Fundação. Os indicadores e parâmetros para cada material, como consumo de energia, quantidade de energia renovável utilizada, emissão de resíduos, etc. serão desenvolvidos caso a caso para cada categoria de produtos. Para os produtos cimento e pastilha de vidro já existem regras estabelecidas, e o restante será desenvolvido conforme requisição do mercado.

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>