Casas leves | Téchne

Tecnologia

Casas leves

Diversas empresas já oferecem, a preços competitivos, estruturas prontas para residências e pequenas edificações

Giovanny Gerolla
Edição 112 - Julho/2006

Fotos: Construtora SeqüênciaEconomia de tempo,material,mãode- obra e preservação do meio ambiente. É assim que sistemas construtivos industrializados, como steel frame, oferecem vantagens aos canteiros de obras e prometem reduzir em pelo menos 1/3 o período de execução de residências ou edifícios baixos, de três a quatro pavimentos.

A razão disso é a facilidade de montagem dos perfis e colocação dos painéis de fechamento, as duas principais matérias-primas do sistema. Os perfis metálicos com espessura de 0,80 a 1,25 mm são unidos com parafusos autobrocantes.

Há quem afirme que preços altos deixaram de ser o grande vilão do aço, porque cada vez mais a relação custo-benefício toma conta dos interesses de investidores imobiliários e construtores, que pretendem terminar os empreendimentos o mais rápido possível, sem desperdício, sujeira ou entulho, e com as chaves na mão: "O preço médio do sistema steel frame com caixilhos de PVC, aspiração central, ar-condicionado, telhado com subcobertura, armários de cozinha, tomadas, interruptores, espelhos e louças de banheiro, além de um pressurizador de água, é de R$ 1.000/m2", afirma o arquiteto da Construtora Sequência Alexandre Mariutti.

Tudo isso é possível porque a indústria siderúrgica brasileira, representada por nomes como Usiminas (Usiminas Siderúrgicas de Minas Gerais)/Cosipa (Companhia Siderúrgica Paulista) e a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), tem impulsionado o setor da fabricação de perfis leves - além dos segmentos paralelos ou subsistemas, como os de fechamento -, os quais direcionam a criatividade para soluções arquitetônicas versáteis.

Com o preço médio do aço em queda anual e o crescimento (pequeno, de 1,5%) do emprego dos sistemas estruturais metálicos nos últimos cinco anos, é até possível ser otimista e prever que a tecnologia industrializada substitua lentamente a construção artesanal, uma vez que o mercado denota evolução de materiais, normas técnicas e necessidade de especialização de mão-de-obra, exigindo precisão absoluta e planejamento total na fase de projeto. "Apesar do maior valor agregado dos produtos, os preços ainda são altos", confirma Flávio de Figueiredo, sócio-gerente da Flasan. "O canteiro vira linha de produção", diz Pedrosvaldo Caram Santos, superintendente de desenvolvimento da construção metálica da Usiminas/Cosipa.

Fotos: Construtora Seqüência
Fotos: Construtora Seqüência
Os perfis são fixados aos montantes, com rebites próprios. Nas instalações hidráulicas, o PEX passa com facilidade pelos perfis, permitindo grande versatilidade ao projeto

Compatibilização

Para que o sistema funcione,é preciso que todos os projetos estejam muito bem articulados. Eles exigem maior investimento de tempo e qualidade de resultados, enquanto a execução torna-se uma rápida conseqüência, ao contrário do que vem sendo feito no Brasil, onde em geral traz dor de cabeça. "Todos os problemas têm de ser resolvidos pelo projeto, para que a execução seja a mais limpa possível", conta Caram.

Fotos: Construtora Seqüência
Para compor as paredes, é crescente hoje o uso de chapa de madeira de fibras orientadas, conhecida como OSB (sigla em inglês), utilizadas duplamente e depois revestidas

Segundo Mariutti, o cliente brasileiro quase nunca tem uma visão da casa pronta, o que pode atrasar o processo. "Deveria ser possível completar uma casa de pequeno porte em até 80 dias.O grande problema é que decisões são geralmente tomadas durante a execução, e não na fase de projetos",conta o arquiteto, que garante terminar uma casa em três meses. "Monto a estrutura em uma semana (frames, painéis, laje e telhado). Uso 15 dias para revestimento externo - incluindo instalações hidráulica e elétrica, ar-condicionado e aspiração - e outros 15 para revestimentos internos (gesso acartonado). O resto do tempo,o mesmo daquele empregado na construção civil convencional, é tomado pelos acabamentos", enumera o arquiteto.

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | Próxima >>

Veja também

Téchne :: Projetos :: ed 217 - Abril 2015

Como construir: certificação de projeto Leed

Equipe de Obra :: Projetos :: ed 82 - Abril 2015

Plantas - Parede diafragma

Equipe de Obra :: Obras :: ed 82 - Abril 2015

Passo a passo - Piso elevado

Equipe de Obra :: Obras :: ed 82 - Abril 2015

Melhores práticas: Movimentação de terra