Como construir: aço cortado e dobrado para estruturas de concreto armado

Desde a década de 90, com o surgimento da tecnologia do aço cortado e dobrado entregue diretamente na obra, a indústria brasileira tem se desenvolvido e apresentado soluções capazes de otimizar o trabalho dos incorporadores. Hoje em dia, por exemplo, é possível comprar o aço soldado e montado, que já chega à obra pronto para ser aplicado. Além disso, a cadeia produtiva organizada e o arcabouço normativo bem estabelecido conferem à utilização do material um caminho diretamente proporcional à otimização do canteiro.

Antes realizado no próprio canteiro, o processo de corte e dobra do aço usado em estruturas de concreto armado está cada vez mais industrializado. Economicamente atrativa, a iniciativa de pré-montagem reduz o desperdício de material

A expansão da utilização do sistema ocorreu durante o boom do mercado imobiliário, entre os anos de 2007 e 2013, quando muitas empresas que nunca haviam utilizado a tecnologia buscaram experimentar. “A industrialização é um caminho irreversível. Em via de regra, as construtoras que têm mais tecnologia e estão mais atentas ao mercado usam o aço cortado e dobrado nas fábricas”, explica Jorge Batlouni, presidente da Tecnum Construtora, lembrando sem nostalgia da época em que o procedimento de corte e dobra era realizado por completo no canteiro de obras.

A escolha da tecnologia não é feita aleatoriamente. O produto já chega à obra pronto para o uso, o que reduz a necessidade de mão de obra e de áreas que antigamente eram reservadas para a pré-montagem. Além disso, a tecnologia também se mostrou economicamente viável ao reduzir os índices de desperdício de material para menos de 3% e gerar ganhos de produtividade nas obras.

As vantagens também estão relacionadas a ganho de qualidade e atendimento à norma. Em uma unidade industrial, todas as especificações são rigorosamente obedecidas. No caso das barras e dos fios de aço destinados a armaduras para estruturas de concreto armado, todas as empresas que fabricam ou importam esses produtos devem seguir a Portaria 73/2010, do Inmetro. A obrigatoriedade ainda inclui o atendimento dos ensaios da NBR 7.480:2007 – Aço Destinado a Armaduras para Estruturas de Concreto Armado – Especificação.

Case 1: Planet Consciente Garden

Todos os empreendimentos da Consciente Construtora e Incorporadora utilizam aço cortado e dobrado industrializados. “Começamos a observar, com a otimização e a revolução de maquinário na indústria, que o custo de chegar às obras já cortado e dobrado ficou mais barato. Já dentro de obra, é um negócio que antigamente ficava sem controle na mão do funcionário, que acabava agredindo o material”, afirma o engenheiro de obras Julliano Nascimento.

No entanto, há casos em que a empresa vai além e opta pela compra do produto já montado. Foi o que aconteceu na obra do empreendimento residencial Planet Consciente Garden. “A gente está executando as contenções em estacas, que são armaduras circulares que já chegam soldadas”, explica Nascimento, que ressalta que a escolha pela tecnologia se deu justamente pela condição de execução.

VANTAGENS DO AÇO DOBRADO E MONTADO

Para Julliano Nascimento, as principais vantagens dessa tecnologia são a redução da mão de obra e a logística facilitada. “Eu ganho muito tempo com esse material chegando à obra dessa maneira. Há ganhos até em termos de qualidade, que é muito superior à da estrutura montada na obra”, afirma.

COMPRA E ENTREGA DO PRODUTO

Como a área do terreno não é das maiores (2.250 m²), a empresa teve que fazer uma programação sob demanda, para garantir que as peças chegassem ao canteiro dentro do cronograma. “Tínhamos 38 toneladas de aço para aplicar. Então a gente sentou, fez o planejamento com o pessoal que executou a contenção e viu que conseguia-se executar mais ou menos dez estacas por dia, o que daria algo em torno de 1.000 kg de aço aplicados por dia”, explica Julliano Nascimento. A partir do cálculo, ficou decidido que a fornecedora deveria entregar na obra em média de 5.000 a 6.000 kg por semana. Isso garante aproximadamente a instalação entre 40 e 50 estacas por semana. Segundo o engenheiro, a empresa estabelece um cronograma de compras de acordo com o de obras. “É uma cartilha que orienta o engenheiro a saber que, por exemplo, neste mês tem que pedir o aço de tal trecho da obra, porque a indústria vai demorar alguns dias para entregar o material”, destaca. O pedido, então, é enviado para a fornecedora, neste caso a Arcelor Mittal, que recebe os projetos por meios físico e eletrônico. “A gente preenche uma planilha de processo da própria indústria, e nela colocamos quais são as peças do projeto que queremos que a indústria entregue”, explica Nascimento. O encarregado da fábrica recebe essas informações e repassa internamente para que o aço seja desbobinado e transformado através de cortes e dobras, de acordo com o que foi programado.

Redução de mão de obra: com a montagem fora do canteiro, a padronização e o controle de qualidade são mais precisos

SISTEMA DE TRATAMENTO E SEU PROCESSO

Quando a contenção é realizada com estacas amarradas com arame, no momento de fazer a inserção dentro do concreto, há o risco de ficar um espaço tão confinado que os estribos circulares dessa armação acabam soltando, até mesmo no local onde o armador deu o ponto. No caso da peça soldada em fábrica, a precisão do maquinário é muito grande. “É diferente de você fazer uma solda dentro da obra, sem controle nenhum, do que uma solda totalmente computadorizada”, afirma o engenheiro de obras.

Solda feita na fábrica: a fixação dos vergalhões e os travamentos das gaiolas executadas industrialmente garantem a posição correta da armação durante a concretagem

DESVANTAGENS DO PRODUTO QUE VALEM A PENA

Por outro lado, há a questão do custo, que fica sempre mais alto quando se encomenda o aço já montado. Segundo o engenheiro, o quilo do aço montado costuma ficar em torno de 40 centavos mais caro do que o montado no canteiro de obra. No entanto, para ele, vale o investimento, uma vez que o ganho em qualidade com o nível de precisão da indústria é muito maior. A empresa gostou tanto da ideia de comprar o aço já soldado que também deve investir na tecnologia na etapa de fundação do empreendimento.

Preço: mais caras, as estruturas de aço já montadas encurtam o prazo de execução da obra, o que pode diminuir os custos gerais com o canteiro

FICHA TÉCNICA

Planet Consciente Garden
Torre de alto padrão com 41 pavimentos
Localização Bairro Setor Bueno (Goiânia-GO)
Lançamento Junho de 2016
Entrega da obra Fevereiro 2020
Área construída total 30.716,15 m²
Área do terreno 2.250,00 m²
Unidades construídas 142
Metragem 122 m² a 138 m²
Quantidade de aço utilizada 916.000 kg (estimada)
Tipo de aço Convencional (aço CA-50, CA-60)
Fornecedor de aço Arcelor Mittal
Construção e incorporação Consciente Construtora e Incorporadora
Parceiro Santos Sampaio Empreendimentos Imobiliários
Corpo técnico Engenheiro Leonardo Menezes (civil), engenheira Gleyce Mata (civil)

Case 2: Nexus Shopping & Business

Há casos, no entanto, em que comprar o aço montado direto de fábrica não é a melhor solução, valendo mais a pena somente adquirir o material cortado e dobrado, para fazer a montagem no próprio canteiro. Isso aconteceu com outro lançamento da Consciente Construtora e Incorporadora, o Nexus Shopping & Business, que possui 136 mil m² de área construída em um empreendimento mixed use, com shopping, hotel, centro de convenções e escritórios comerciais.

AMAZENAMENTO DO MATERIAL

Para fazer a estocagem e a preparação desse material, duas centrais de aço foram criadas no canteiro, uma vez que em um empreendimento desse porte a quantidade recebida chega a 15 mil kg de aço por dia. “Numa situação do Nexus, eu poderia pedir aço sem estar preocupado, por exemplo, com o avanço físico. Porque eu tenho onde fazer essa estocagem”, conta Nascimento.

LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO 

As centrais estão localizadas no raio de ação da grua, para facilitar a logística de distribuição do aço no trecho em obras. “Essa grua tem um braço de 50 m, capaz de chegar a esse perímetro ao longo de todo o canteiro. O que a carreta faz? Ela estaciona onde a grua consegue alcançar a caçamba da carreta. Então a própria grua pega o material de cima da carreta e o coloca na central de armação”, explica Nascimento.

CONFERÊNCIA DO PRODUTO

Outra etapa importante é a de conferência no momento do recebimento. O material costuma chegar à obra lacrado e 100% etiquetado. “Aquela planilha que mandei para a indústria chega impressa junto com a carreta. Esse relatório é apresentado para o almoxarife, que confere se todas as etiquetas estão presas no material entregue e se correspondem com o que está no relatório”, afirma o engenheiro de obras da construtora.

FICHA TÉCNICA

Nexus Shopping & Business
Comercial mixed use (shopping, hotel, centro de convenções e office)
Localização Bairro Setor Marista (Goiânia-GO)
Lançamento Outubro de 2015
Entrega da obra Abril de 2020
Área construída 136.851,80 m²
Área do terreno 9.951,86 m²
Quantidade de aço utilizada 5.293 toneladas
Tipos de aço Convencional (Aço CA-50, CA-60) e Protensão (Cord. CP 190)
Fornecedor de aço Arcelor Mittal
Construção e incorporação Consciente Construtora e Incorporadora
Parceiro JFG Incorporações
Corpo técnico Engenheiro Edijan Fernandes (civil), engenheiro Julliano Nascimento (civil), engenheiro Eric Tomo (instalações), arquiteta Bruna Sattler

Case 3: You Pinheiros 

Subir um empreendimento em São Paulo é adaptar-se aos desafios da metrópole. Para o recebimento do aço, por exemplo, há uma área do município com restrição ao trânsito de caminhões chamada de Zona de Máxima Restrição de Circulação (ZMRC), que ocorre de segunda a sexta-feira, das 5h às 21h, e aos sábados, das 10h às 14h. Isso significa que geralmente o aço vai chegar à obra de madrugada.

“Hoje em dia, a maioria das nossas obras está em lugares mais nobres da cidade, onde há a faixa de restrição”, diz Jorge Batlouni, presidente da Tecnum Construtora. Atualmente, quase 100% do aço utilizado em empreendimentos da empresa vêm das indústrias. Apenas uma faixa mínima, de 2%, é armada ou cortada em obra, geralmente utilizada quando ocorre alguma surpresa. “É raro acontecer, mas acontece”, afirma Batlouni.

RECEBIMENTO DO MATERIAL NO TURNO NOTURNO

Dentro da zona de restrição, as obras da empresa tiveram de se adaptar para fazer o recebimento, a conferência do material e a estocagem de madrugada, quando a equipe costuma estar mais reduzida. “Quando a gente recebe o aço durante o dia, tudo é mais fácil, pois está toda a equipe lá, com engenheiro e tal. Daí, você já põe um encarregado de armação e naquela hora ele já vai quitando o recebimento de cada peça”, afirma Jorge Batlouni. Para o recebimento noturno, a Tecnum solicita à fornecedora que a entrega seja feita com o caminhão Munck, que possui um braço articulado para cargas e descargas. O veículo costuma ser menos barulhento, característica importante quando se trata de vizinhanças populosas, como costuma ocorrer em São Paulo.

PEDIDO E DEMANDA DE AÇO

Segundo Batlouni, os pedidos são realizados de acordo com a demanda. Isso porque a entrega costuma levar dois ou três dias úteis. “Recebemos quase just in time. Se vamos usar um aço na sexta, a gente recebe na terça, isto é, dois ou três dias antes. As empresas têm conseguido cumprir os prazos”, conta Batlouni.

Vergalhões armazenados na obra

ORGANIZAÇÃO DA OBRA

Normalmente, o pacote de recebimento da Tecnum é uma laje. Às vezes isso ocorre em duas ou até mesmo em uma viagem, dependendo do que está sendo construído. Cada caminhão traz de 18 a 20 toneladas. “Então a gente pega um prédio de 20 andares e vai marcando uma laje por semana. Nós estamos num momento muito bom para produzir porque há baixa demanda. Todo mundo está com folga de capacidade produtiva, não tem muito problema”, afirma Batlouni.

Estrutura de concreto em construção

IDENTIFICAÇÃO E CONFERÊNCIA DO AÇO

Para a identificação e conferência do material, são utilizadas fichas com identificação de vigas e de cada peça que será utilizada. “Nós temos um conferencista que confere exatamente se o material está chegando conforme o que foi pedido”, explica o presidente da Tecnum. No caso do recebimento de madrugada, o funcionário que está cumprindo essa tarefa não tem capacidade técnica para fazer a conferência, então as peças são conferidas uma a uma no dia seguinte pelos armadores.

FICHA TÉCNICA

You Pinheiros
Torre de médio padrão com 19 pavimentos
Localização Bairro de Pinheiros (São Paulo)
Início da obra Novembro de 2016
Entrega da obra Agosto de 2018
Área construída total 8.423,55 m²
Área do terreno 1.111,80 m²
Unidades construídas 81
Metragem 51 m² a 69 m²
Construção Tecnum Construtora
Incorporação You Inc
Projeto de arquitetura Jonas Birger Arquitetura

Veja também: