Veja qual cuidado ter em alicerces expostos e se o polietileno de alta densidade pode ser usado em deque de piscinas

Alicerces expostos em muro desaterrado exigem cuidado especial

Durante movimento de terra realizado em um lote para construção de varanda, o alicerce do muro do vizinho acabou exposto totalmente, a ponto de revelar a porção de terra sob a fundação. Como devo proceder neste caso?

Primeiramente, como o muro do terreno vizinho teve os alicerces expostos, com desconfinamento do solo, parece-nos que haverá necessidade de subfundação, ou seja, completar com concreto ou alvenaria os espaços abaixo do alicerce original, apoiando o material de prolongamento em solo estável e resistente.

Para evitar a percolação de umidade do terreno vizinho para a sua varanda, após a execução do prolongamento parece conveniente rebocar toda a base do muro e executar impermeabilização com manta asfáltica, seguindo-se a construção da parede da varanda. Ou seja, resultará impermeabilização aderida entre uma e outra parede, sendo recomendável que a altura da impermeabilização avance até a altura da parede da varanda, ou mesmo ultrapasse em 20 a 30 cm o topo da parede da varanda.

Engo Ercio Thomaz
Cetac – Centro Tecnológico do Ambiente Construído

Polietileno de alta densidade substitui madeira em deque

Posso confiar na madeira plástica (polietileno de alta densidade – HDPE) como alternativa ecológica para substituir madeiras tradicionais em deques de piscina?

Perfis de plástico termoplástico, natural ou reciclado, composto de fibras de madeira ou de outros materiais, podem sim ser utilizados em deques de piscina, desde que o plástico tenha sido formulado com agentes estabilizadores ou absorvedores de radiações UV, aditivos retardantes de chamas, aditivos antioxidantes, termoestabilizadores e outros, de forma que as peças não apresentem deformações significativas sob ação do calor, rompimento das cadeias poliméricas e outras avarias que comprometam sua durabilidade. Devem ainda apresentar rugosidade superficial compatível com a utilização, dificultando ao máximo escorregões e quedas de pessoas.

Sob o ponto de vista da preservação ambiental, o sistema apresenta a considerável vantagem de possibilitar o consumo de embalagens usadas de plásticos não biodegradáveis, que, de outra forma, atuariam na natureza como poluentes do solo ou da água. Pode sim ser considerada uma alternativa ecologicamente correta, assim como o é a madeira natural, único material de construção que pode ser plantado e/ou cultivado. Para deques de piscina, ripas de madeira de alta densidade, que não necessitem tratamento preservativo, também podem ser consideradas boa opção.

Engo Ercio Thomaz
Cetac – Centro Tecnológico do Ambiente Construído

Veja também: