Notícias rápidas da engenharia

Automação predial da Japan House São Paulo é feita por empresa nipônica

Inaugurada em maio passado na Avenida Paulista, a Japan House desfruta de um sistema de automação predial inédito no país, criado pela também nipônica Mitsubshi Eletric do Brasil. A empresa instalou na edificação toda a parte de controle de ar-condicionado, exaustores, gerenciamento de energia elétrica e elevadores. “Introduzimos pela primeira vez no país o nosso software de gerenciamento MC Works, que controlará toda a automação do edifício”, afirma André Chimura, supervisor de vendas da Divisão de Automação Industrial da Mitsubishi Electric do Brasil. Além desse software de gerenciamento, o edifício conta com inversores de frequência para a partida de exaustores e ventiladores; multimedidores para o monitoramento do consumo de energia do prédio, incluindo o restaurante e o café; Controlador Lógico Programável (CLP), para gerenciar o sistema de iluminação e as medições de energia e de água; e IHMs, para operação de backup do sistema.

Empreendimento ganha bosque com lago suspenso em Goiânia

Com projeto paisagístico do arquiteto Benedito Abbud, o bosque suspenso de 3 mil m2 reúne milhares de plantas de 30 espécies e um lago com carpas. Construída acima da garagem, essa área de lazer é o grande diferencial do empreendimento Botanic Consciente Life, edificação com 41 pavimentos inaugurada em Goiânia (GO). Para que o projeto atingisse eficiência máxima, os cuidados com as lajes abaixo do bosque foram reforçados. “É necessário que elas resistam às pressões hidrostáticas de percolação, colunas de água e gases, além de apresentar aderência,

Botanic Consciente Life: teste de estanqueidade em lago suspenso construído acima da garagem durou 20 dias, em vez das 72 horas impostas pela ABNT

Estudo revela as dez piores calçadas de São Paulo

flexibilidade, resistência, estabilidade físico-mecânica e vida útil compatível com as solicitações previstas no projeto”, afirma o engenheiro Leonardo Menezes, responsável pela obra. Durante o processo de instalação, a equipe manteve o foco na vedação do lago, a fim de evitar vazamentos. “Fizemos um teste de estanqueidade durante 20 dias, o que é muito acima do exigido pela norma técnica da ABNT, que impõe um teste mínimo de 72 horas”, conta Menezes. Projetado pela empresa paulista Ecovalle, o lago suspenso dessa obra é considerado o primeiro na região central do país.

 

Estudo revela as dez piores calçadas de São Paulo

Um levantamento desenvolvido por meio do aplicativo da ONG Corrida Amiga avaliou as calçadas brasileiras durante o evento Campanha Calçada Cilada 2017. O estudo foi feito em abril e mapeou quase 1.600 imperfeições em todo o país. Na capital paulista, foram listadas as dez piores calçadas em que pedestres enfrentam todo tipo de desconforto – inclusive alguns bem perigosos. Tem desde buracos (em 70% dos casos), falhas de acessibilidade (12%) e ausência de faixa de travessia (4%) até problemas como presença de lixo e obra inacabada de concessionária (14%). Localizadas na Zona Oeste e na região central da cidade, confira as ruas, pontes e avenidas onde você deve tomar o máximo de cuidado: avenidas São João, Doutor Arnaldo, da Liberdade e Doutor Abrahão Ribeiro; ruas Bom Pastor, Guaraiúva, Pio XII e Heitor Penteado; e pontes do Jaguaré e Cidade Universitária.

Cartilhas tratam do uso correto de instalações e acessibilidade em prédios residenciais

O Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de São Paulo (Ibape-SP) está lançando duas cartilhas neste mês: a de Elementos Complementares e a de Acessibilidade. O material, que vem sendo publicado pelo instituto desde 2012, aborda todo tipo de questão relacionada à inspeção predial. A Cartilha de Elementos Complementares, por exemplo, trata de itens que vão desde a Estação Rádio Base (ERB) até o paisagismo e as varandas das edificações. O material traz informações técnicas sobre os novos elementos que constituem os edifícios e sua utilização – que, em alguns casos, pode acarretar em economia para os condôminos, dependendo dos investimentos feitos.

Já a Cartilha de Acessibilidade é apresentada em sua segunda edição, devido à revisão da NBR 9050/2015. O material foi elaborado para facilitar a compreensão da norma e sua aplicação no cotidiano, ajudando na locomoção e no uso de áreas comuns de edifícios residenciais por pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida com segurança e autonomia. As duas cartilhas têm patrocínio do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (CAU-SP).

Edifício brasileiro com sistema coluna-folha vence prêmio internacional

Os engenheiros da construtora brasileira MVituzzo venceram o Prêmio A”Design Award & Competition, na Itália, pelo uso do sistema híbrido na fachada do edifício corporativo Infinity Trinity Tower, que fica em São José dos Campos (SP). O sistema usado pelos engenheiros é a reunião de duas tecnologias: unitizada e stick. “Lançamos mão da pele de vidro contínua com uma cinta ininterrupta circundando todo o edifício, variando com uma cinta de alvenaria, típica de um prédio corporativo. Porém, por dentro do prédio, a interrupção deveria acontecer pela necessidade de o pavimento ser dividido em salas pequenas, médias e grandes”, conta Marco Aurelio Vituzzo, diretor da construtora.

O Infinity Trinity Tower possui 12 salas por andar, que podem chegar a se tornar um único salão com mais de 400 m², não afetando em nada a fachada externa.

O edifício corporativo Infinity Trinity Tower, vencedor da premiação italiana A” Design Award

Revisão proposta pelo PBQP-H entra em vigor em julho

A partir deste mês, o Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) vai exigir que construtoras atendam às mudanças anunciadas no começo do ano com a inclusão da NBR 15.575/2013 no Sistema de Avaliação da Conformidade de Empresas de Serviços e Obras (SiAC), da construção civil.

A norma tem como foco o bem-estar dos usuários de unidades habitacionais, definindo padrões mensuráveis para aspectos como segurança estrutural, segurança contra fogo, estanqueidade, desempenho térmico, desempenho acústico, conforto, durabilidade e manutenibilidade, entre outros. Com a mudança, o atendimento à norma de desempenho torna-se um item a ser comprovado pelo Sistema de Gestão da Qualidade (SGC) das construtoras durante as auditorias de certificação do SiAC. Ou seja, o órgão passa a exigir a apresentação de documentos específicos como o Plano de Controle Tecnológico e o Perfil de Desempenho da Edificação (PDE).

Programa quer melhorar a qualidade de portas e janelas de alumínio

O novo Programa Setorial da Qualidade (PSQ) de Portas e Janelas de Correr de Alumínio foi criado para garantir que todas as portas e janelas de alumínio comercializadas no país apresentem a qualidade necessária para oferecer segurança e conforto aos usuários. Aprovada em maio pelo Ministério das Cidades, por meio do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H), a iniciativa tem como mantenedora a Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio (Afeal). Segundo Fernando Rosa, gerente-geral da Afeal e do PSQ, a partir de agora os fabricantes qualificados terão sua imagem valorizada devido ao atendimento das normas técnicas. “Os rigorosos critérios de avaliação garantem aos revendedores, construtoras e consumidores um produto de qualidade, que propicia maior conforto, vida útil e segurança dos produtos”, afirma Rosa.

 

Veja também: